segunda-feira, 18 de janeiro de 2010

VALE PENSAMENTO




Dentro do vale pensamento
Escondi os meus tormentos
Lá também guardei as pequenas/grandes alegrias
E naveguei em mar de plena calmaria

Arrendei meu coração
A quem me desse mais
Inventei minhas razões
Pra que pudesse viver em paz

Calei a conversa das estrelas
Com meus estranhos sentimentos
Desfiz os sonhos, as fábulas, as quimeras
E acomodei-me a uma longa espera

Mas, cobriu-me o desassossego
Na desarrazoada razão de um dia
Que deixei, a pairar, perdido, silencioso,
por sobre as dobras azuis de minha solidão infinda


Postar um comentário