sexta-feira, 2 de abril de 2010

CONTEMPLAÇÃO


Agora que contemplaste os segredos
Não podes mais partir
Agora que possuis a chave dos mistérios
Não podes mais partir
Pra onde irias afinal?
Teu lugar é na orbita celeste
A girar em torno do sol que não apaga
Por quantas vezes choraste
Temendo a chegada da noite
Mergulhado em solidão
Sob um céu sem estrelas
Teu coração aflito
Implorava por sossego
E agora que alcançaste a verdadeira morada da alma
Não retomes os teus excessos
Desapega-te do mundo!
Lá já não possuis nenhum valor
Não és mais moeda de troca
As roupas em trapos
É o que te convêm neste momento
Seca a água dos teus olhos
Deixa de lado a cobiça
Abstém-te da ira
Não penses
Torna-te livre
Sê teu próprio senhor
Olha pra ti mesmo e vê o que está oculto


Postar um comentário