sábado, 27 de dezembro de 2008

RECORDAÇÕES DA CASA DA COBRA-A FLOR, A DOR E O AMOR



A FLOR, A DOR E O AMOR


Havia uma flor
Havia uma dor
Havia o meu amor
Esperava que uma supernova
surgisse resplandecente pela estrada
de minha vida afora
Havia o meu amor
Havia uma dor
Havia uma flor
Não devia carregar nenhuma bagagem
Esqueci-me dos conselhos dos antigos sábios
e entreguei-me a inúmeros perigos
Exposta a toda sorte de desatinos
Havia uma dor
Havia o meu amor
Não mais havia a flor
O jardim tão bem cuidado, mergulhado em sombras
Murchou... ressecou... perdeu a cor
Triste, tentei voltar sobre os meus passos
Mas era tarde... a longa estrada se estreitava a cada passada
Havia o meu amor...
Mas ainda havia a dor
Porém, a dor foi amenizando conforme o tempo decorrido
e o trabalho compreendido
Havia boa intenção e a vontade em dar as mãos
Havia compreensão
A alegria secreta tomou conta de meu ser
E entendi, finalmente, o por quê...
De repente...
Não mais havia a dor
Havia somente o meu amor


Postar um comentário