sexta-feira, 7 de agosto de 2009

RECORDAÇÕES DA CASA DA COBRA-MITO DE ORIGEM DOS INDIOS TICUNA

MITO DE ORIGEM DOS INDIOS TICUNA



Assim meu avô ouviu de seu avô que ouviu de seu avô
e assim vou contar:
Escuro, frio e silêncio. O começo de tudo.
Yo’ i e Ypi. cadê a luz?
Acima da árvore gigante.
Samaumeira, wotchine, esconde o mundo
Yo’i e Ypi querem ver o mundo.
Pegaram um caroço de araratucupi e tcha... um buraquinho na negra escuridão
E aí? Yo’i e Ypi? Cadê a luz?
Pra lá da escuridão, pra lá da copa da samaumeira, pelo buraco, dá pra ver
O quê? Yo’i e Ypi
Uma preguiça real que prende o céu com galhos da samaumeira.
Yo’i e Ypi pegaram mais caroços de araratucupi e tcha, tcha, tcha.. olha lá um montão de estrelas, mas nada de luz...
Yo’i e Ypi cadê a luz?
Hum, hum, hum.... os dois irmãos pensando.
Yo’i e Ypi vão derrubar a samaumeira.
Chama, chama, chama todos os bichos pra ajudar
Vem lá macaco e cutia, boto, cobra, veado, tamanduá, jabuti, tracajá...
Não dá, não dá... samaumeira não cai; nem pica-pau consegue por wotchine abaixo.
E agora Yo’i e Ypi?
Hum, hum, hum.... os dois irmãos pensando.
Uma festa, uma festa de casamento
Aicüna, a irmã, será dada a quem fizer preguiça real soltar os galhos que prendem o céu
Nos olhos da preguiça real tem que jogar formigas-de-fogo. Quem vai?
Chegou Taine, um quatipuru bem pequeno, foi, mas no meio do caminho voltou.
Taine, o quatipuruzinho, tentou de novo. Desta vez, chegou. Jogou as formigas nos olhos da preguiça e a preguiça soltou os galhos que prendiam o céu e lá se foi a samaumeira...
Taine casou com Aicüna e do tronco da árvore caída brotou o rio Solimões e dos galhos espalhados, mais rios e muitos igarapés.
***


INDIOS TICUNA: do tronco lingüístico ticuna, segundo o Censo de 1984, se encontra espalhada pelos seguintes municípios do estado do Amazonas: Benjamim Constant, Tabatinga, São Paulo de Olivença, Amaturá, e Santo Antônio do Içá, contando-se hoje a nação, em torno de 23.000 pessoas. Para eles uma árvore não é apenas uma árvore é muito mais é um símbolo da vida, acreditam que numa árvore está contida toda a memória do mundo.
Yo’i, Ypi e Aicüna são os irmãos primordiais, aqueles que através de suas ações, sendo a maior delas a derrubada da samaumeira, darão inicio ao mundo da forma que hoje o
conhecemos.

O LIVRO DAS ÁRVORES, TICUNA

Postar um comentário