segunda-feira, 28 de setembro de 2015

HOLY BLUES RADIO

O Blues e os outros Blues



Foi-se minha radioweb... sim.. eu a desativei, depois de baixíssima audiência.. mas, não faz mal.. Sei que nem todas as pessoas são apreciadoras do bom e velho blues, outras até são, mas apenas do que existe de mais moderno, outras, nem querem saber de branco tocando blues, chamam mesmo de "blues de branco", um termo depreciativo para a música que branco não sabe fazer, tocar ou sentir.. esses são mais radicais, embora não deixem de ter lá sua razão, o blues de raiz, sempre será o blues de raiz, mas, entretanto, porém, todavia, não posso deixar passar ou ignorar, que existe música blues em todo lugar, além do quê, considero o Blues mais que gênero musical, considero o Blues como um conceito sobre a vida como um todo. Todo mundo têm suas dores e alegrias.. o Blues surgido nos campos de algodão, aquele lamento doído, abriu caminhos para novos ritmos, novos pensamentos e abriu a caixa trancada de alguns sentimentos. Se "branco não sabe fazer blues", ele faz um blues mesmo assim.. é um outro tipo, mas com o DNA da nota azul, entranhado até a alma. Para mim, amo todos os blues e por isso sigo a linha de meu próprio modo de pensar. Mais que um conceito, o Blues é um modo de vida, e, com certeza, se não é o seu, para sempre será o meu.       

segunda-feira, 21 de setembro de 2015

HANNAH ARENDT (A Condição Humana)


BAD FEELINGS


Existem dias que tudo me causa pena ... chega a doer! Até a pena que despenca do alto do corpo leve do pássaro em seu voo breve .. a pena despenca e eu sinto pena!

***

As pessoas vivem deixando tudo para última hora... somos assim, uns mais outros menos, mas, penso, cada vez mais que é preciso tomar decisões de modo antecipado... deixar tudo pra depois, empurrar com a barriga, além de prejudicar você, roubando seu tempo, prejudica a quem está em volta e o tempo que passou a examinar se queria ou não queria algo vai-se embora e não retorna e as amizades possivelmente conquistadas neste meio-espaço, são quase impossíveis de serem resgatadas! Por isso, pense bem antes de se envolver em qualquer projeto de vida! Saiba arcar com as consequências das tomadas de decisões tardias. "Antes tarde do que nunca" não é uma frase muito alentadora! 

***

Não tem um fim esta história
Gira, gira devagar
Volta ao mesmo lugar
Seriam sonhos, apenas devaneios
A ligar universos paralelos

quarta-feira, 16 de setembro de 2015

ZÉ POVO

Imagem de Zé Povinho, personagem criado em 1875, pelo caricaturista português, Rafael Bordalho Pinheiro, numa charge intitulada Calendário Português, para o periódico de humor político, A Lanterna Mágica, afim de criticar de forma humorística os problemas políticos, sociais e econômicos do país.

TRÊS QUESTÕES


1. Se você é pobre e ignorante; sem escola, sem trabalho, marginalizado, você não tem condições de pensar por você mesmo, certo?! Tem que atribuir esta função a outros.
2. Se você é pobre e ignorante; sem escola, sem trabalho, marginalizado, é porque você é preguiçoso e quem lhe diz isso é aquele que pensa por você e você tem que aceitar e se acomodar em sua condição de inútil, vegetal, porque o senhor lá é que sabe das coisas, posto que estudou mais e não você, e você, "inocentemente" espera; espera, acredita em promessas, não por ingenuidade, mas, por omissão, embora você nem saiba o significado desta palavra ou talvez, nem jamais a tenha sequer ouvido, na verdade, você não é burro, nem omisso, você é apenas um ponto em questão; relevante, em alguns casos; você é apenas um "inocente útil"; sim, "inocente útil"; roda de engrenagem barata, mas sólida, ator coadjuvante, numa grande história, cujos diretores; roteiristas e até as camareiras, vivem a lhe dizer da possibilidade de você ser escalado um dia pra um importante papel, mas, quem sabe somente na próxima; na próxima e dessa forma, lhe mandam sentar e esperar e você obedece, senta e espera, espera, até que venha a sua vez não de atuar romanticamente, mas, enfim de servir de "boi de piranha"; ou "bode expiatório"; "laranja"; " testa de ferro" em um excelente negócio, onde todos levam o seu, menos você, que acaba sempre por pagar o pato (pato com laranja) e mesmo tendo todas as condições físicas para tentar correr atrás de algo mais condizente com sua situação, você não corre porque aí é que mora o perigo; claro, se você correr, o bicho pega, (você nem lembra que se ficar, o bicho come e dessa parte, nem fazem questão mesmo de lhe lembrar) se você correr, capaz de perder todos os benefícios, o qual agora usufrui e pelo qual aguardou por tantos, tantos anos, e depois, correr pra quê?! Se aquele que pensa por você se sacrificou, lutou e agora diz que o tempo passou e você não tem a menor chance, a menor condição psíquica pra subir mais um degrau na escala humana; na escada da vida, é difícil, você precisa ter "amigos" e aí, mais uma vez, você acredita. 
3. Por mais que você seja pobre, ignorante, tosco, sem escola, marginalizado, você pode perceber vez por outra, que te fazem de bobo; mas, você não se revolta, até esquece, porque não sente a necessidade iminente de clarear as ideias e dizer o que sente, por vergonha ou temor, porque quem pensa por você, diz que você não tem nenhum valor e já deveria estar acostumado, uma vez que tem que ter cuidado, pois "quem diz o que quer; ouve o que não quer", oooohhh, não há maior verdade. 
Bom, não generalizando, citei estes três pontos; a necessidade amplia a vontade inerente de voar um pouco mais alto, mas, a preguiça, aquela a qual todos nós estamos sujeitos, não deixa você pensar duas vezes sobre as suas reais possibilidades de alcançar outros céus, porque te disseram desde cedo que é feio admitir que você é realmente preguiçoso e que por isso abriu mão de toda responsabilidade e defesa para consigo mesmo, posto que, era mais fácil depositar tudo sobre o ombro "amigo" do outro. Agora, o outro voa cada vez mais alto, mas sem a preocupação/obrigação patronal; efetiva; emotiva de ter que te carregar às costas.

terça-feira, 15 de setembro de 2015

KÁRIO

Kário em mais uma luta justa
Um soco direto no queixo e pronto.. !
O trabalho de Jean Okada, sempre comovente




Mausoléu Bahaudin Naqshbandi 
Bukhara in Uzbekistan.


O mestre Bahauddin Naqshbandi dizia: "Sê presente em cada alento" e assim é que deve ser, uma das preciosas regras do saber/aprender a viver! Se você não estiver inteiro, consciente e mergulhado em sua meta, não haverá milagre que o salve de um desastre.. seja ele de que tipo for.. portanto, ATENÇÃO! Atenção até ao dobrar uma esquina...





Gal Costa - Divino Maravilhoso