quarta-feira, 21 de janeiro de 2015

ONIPRESENÇA


Não podemos ser a palmatória do mundo .. os olhos, a mente, o coração não são onipresentes, não estão em todos os lugares o tempo todo. Ao criticar a pena de morte na Indonésia, critico toda e qualquer pena de morte.. Vivemos matando, vivemos morrendo.. Vivemos para viver e logo depois morrer, seja de uma forma, seja de outra ... Estamos a mercê do acaso, do destino, da boa ou má sorte... quem realmente consegue dirigir com mãos de ferro a sua vida, quem consegue ter percepção suficiente para tomar boas decisões? Quem, apesar de todos os cuidados, consegue vigiar a si mesmo para nunca cair em ciladas? Quem consegue adivinhar a vida, saber para onde ir e vir com a devida atenção e segurança.. ? como eu disse, quem se adivinha e adivinha a vida consegue evitar muita coisa, muita desgraça, muita tragédia, não é? afinal, nascemos para ter uma vida longa e boa, porém, não é assim porque vivemos com pessoas e formas diversificadas de ser e pensar.. se existe tal pessoa, aquela que consegue dominar sua razão e loucura, dou meus parabéns, se existir, claro, pois eu não acredito que exista... Estamos sempre na linha de fogo ou então, em estado de aflição permanente mesmo sem saber, sempre com a espada de Dâmocles pendendo sobre nossas cabeças. A quem consegue ser senhor de si mesmo e jamais comete erros, repito, dou meus parabéns. As pessoas fazem guerra e matam... quem vai pra guerra (obrigado ou não), mata pra não morrer ou mata e morre do mesmo jeito; quem sai de casa, já sai desafiando a morte, a mulher grávida que aborta, mata (muitos pensam assim; aliás muitos não são a favor do aborto, mas acham certo a pena capital aplicada a um "criminoso".. "já que bandido bom é bandido morto" )...Lamento-me não pela boa morte, que deveria ser um privilégio de quem viveu bem, são e feliz, lamento-me, porém, por todas as sentenças de morte que nos são impostas e aplicadas, a nós, aos nascidos e não nascidos, a morte nos iguala, nos nivela, nos eleva ou nos rebaixa, entretanto, se estamos mortos, nada mais importa. mas, isso não é entendido porque todo dia em nosso país (não só aqui) "um pai de família" é assaltado e executado, uma criança, ou duas, três mais, muito mais... morrem espancadas, atingidas por balas perdidas ou direi "mal dirigidas" e outras formas .. todo dia uma sentença de morte a pairar sobre nós; os nascidos, os não nascidos, os bem-aventurados, os desgraçados... lamento por todas as mortes.. as dignas, as indignas.. lamento.. por todas as matanças.. lamento por todos os seres, os dignos e os indignos, lamento por todas as chacinas, lamento por todos os assassinatos, lamento por todas as guerras, sangue e angústia que ainda hão de vir.. lamento.. lamento tanto.. lamento muito ... agora, por favor, voltem a girar em torno de seus umbigos, a cuidar de suas vidas para que sejam bem vividas, pois a mim, parece-me que o tempo de dizer que "felizes são aqueles que não nasceram", infelizmente, chegou, finalmente!
Postar um comentário