quinta-feira, 18 de novembro de 2010

TRANSCENDENTE


Irei lembrar-me
De todos os detalhes
De momentos inteiros
De vidas entrelaçadas no tempo
Ocultas dentro do ser
Todas as ausências
Todas as presenças
Lanço ao vento minha oração
E as minhas pseudos-verdades
Soam como blasfêmias
Na boca de um santo
Mas digo amém a cada frase dita
Submissa a uma vontade maior
Limito-me a buscar o ilimitado
Vasculhando o alfabeto do cosmo
Do alfa ao ômega
A identidade de Deus
Se revela então numa estrela
Transcendente mistério
Que se cala em minh’ alma
O imenso espelho polido
Mostra agora todas as cores do Universo
Postar um comentário