segunda-feira, 12 de abril de 2010

PESCADOR DE ESTRELAS





Recolho, na penumbra da noite, 
os peixes solitários que teimam 
em subir à superfície da água... 
Minha rede é de fios de ouro e de prata, 
e tão leve e breve que substitui as palavras, que,
enfim, não precisam ser pronunciadas
O silencio me dita o que fazer e por onde ir
A lua olha-me distante...?! O que é distante? 
O céu, negro mar, coberto de estrelas brilhantes
e, tão antigas, são artífices de sonhos... 
Vou de mar em mar, de rio em rio à cata de peixe, 
Mas, meu sonho é pescar estrelas




Postar um comentário