terça-feira, 6 de abril de 2010

O TREM



Ouço o apito do trem a chegar
Um instante e subo já
Vou pegar o trem, meu bem
Vou pra nunca mais voltar

Há dias o espero, só, na plataforma
Há dias o espero, só, na estação
Em silêncio, eu, o violão

Ouço o apito do trem a chegar
Um instante e subo já
Vou pegar o trem, meu bem
Vou, pra nunca mais voltar

O vento levou meu coração
O trem minha alma levará
O vento em minha direção
Sabe o rumo certo a tomar

Ouço o apito do trem a chegar
Um instante e subo já
Vou pegar o trem, meu bem
Vou pra nunca mais voltar

Meu sangue congelou nas veias
Estou mais morto do que vivo
Nem o sol me acalenta o desespero
Nem a chuva me alcança o espírito

Ouço o apito do trem a chegar
Um instante e subo já
Vou pegar o trem, meu bem
Vou pra nunca mais voltar

Meu corpo dolorido e cansado
No banco do vagão vou deitar
Adormecer e não mais sonhar
Hey, baby, está na hora de ir embora

Ouço o apito do trem a chegar
Um instante e subo já
Vou pegar o trem, meu bem
Vou pra nunca mais voltar

Dentro da bruma o trem desaparecerá
Deixando atrás a noite escura
Na quietude do vagão
Tocarei a última canção

Ouço o apito do trem a chegar
Um instante e subo já
Vou pegar o trem, meu bem
Vou pra nunca mais voltar


Postar um comentário