quarta-feira, 23 de dezembro de 2009

NATAL... NATAL... NATAL...





Nos afazeres do dia a dia, nem me apercebi da chegada do Natal.
Ao longe, dobram os sinos de uma velha igreja 
e o ar impregna-se com o cheiro de velas e incensos.
Rumores de vozes, calorosas, chegam até mim.
No pátio ainda restam os vestígios da última chuva.
Nesta noite, silenciosa e fria, o menino Jesus espera renascer dentro de cada coração...
Uno-me ao brilho de uma estrela radiante e solitária
que lá do alto me chama e, em paz, dirijo meus passos
na direção do infinito.







Postar um comentário