sexta-feira, 12 de junho de 2009

PRINCESA PROMETIDA





Há um trovador que canta em meus ouvidos
A triste história de um amor perdido
Vai, assim, em turbilhão as batidas de meu coração
Por quanto tempo mais serei errante por esta terra?
Cavaleiro intrépido, escondido pelas trevas
Longe de tudo o que sempre almejei... Deprimido, inconstante...
Buscando somente um sossegado adormecer
Mas, ainda sinto as amarras invisíveis que me prendem...
Vou por este mundo com passos indolentes e vacilantes
E com pesar, analiso as horas e o tempo dissonante...
O suor me escorre pela testa... Árduo destino... Árdua tarefa...
Pois, na torre mais alta de um velho castelo
Na fabulosa montanha de um lugar distante
Se encontra a beleza que tudo encerra, promessa de vida, a paz na guerra
A donzela querida, princesa dos meus sonhos...
Guiado pela lua vigilante
Alcançarei o impossível antes de nascer o sol...
Postar um comentário