segunda-feira, 22 de dezembro de 2008

RECORDAÇÕES DA CASA DA COBRA-MANAUS, MÃE DOS DEUSES - BREVE DESCRIÇÃO














Foto montagem: Bob Medina 
Cúpula do Teatro Amazonas

   


MANAUS, MÃE DOS DEUSES - BREVE DESCRIÇÃO


A cidade de Manaus, capital do Amazonas, está localizada entre os rios Negro e Solimões.  
Fundada em 1669, com a construção do forte São José da Barra do Rio Negro, recebeu o nome de Manaus (que significa "mãe do deuses") após sua elevação à categoria de vila ocorrida em 1832.
No tempo áureo da exploração da borracha, Manaus ficou conhecida como a "Paris das Selvas", devido ao elevado grau de riqueza e sofisticação, e foi uma das primeiras cidades do país a possuir luz elétrica, tendo na construção do Teatro Amazonas atingido o seu ponto máximo.
Musicalmente, Manaus sofreu as mesmas influências que o resto do Brasil, isto é temos raízes musicais fincadas nas raças branca, índia e negra, acrescentando-se também o tempero introduzido pelos imigrantes árabes e judeus, portanto elementos latinos, afros, orientais e europeus. Outrora, tivemos as óperas e as orquestras trazidas de fora pelos barões da borracha para apresentações exclusivas para a elite, ou mesmo (caso das orquestras) para um evento estritamente particular. Atualmente voltamos aos Festivais, começando com o festival de cinema, passando por ópera e jazz... por todo o estado, ocorrem diversas festas e manifestações folclóricas, embora não com a mesma importância conquistada pelo Festival Folclórico de Parintins aonde as estrelas principais são os bois Garantido e Caprichoso. Mas, não pensem que Manaus é só folclore, também nos embalamos e nos inspiramos outros ritmos sons. Na década de 60, três dos Festivais Estudantis de Música, foram aqui realizados e o rock'n'roll em nossa cidade morena, a nossa "porto de lenha", rolava solto, assim a paixão pelo blues foi uma questão de tempo.
Em pleno século XXI, Manaus possui muitas opções, com shows de bandas que imaginávamos anos luz de nossos sonhos e o "bom e velho blues" tem conquistado seu espaço, aliás, muito merecido, porém a duras penas. É tempo de saber que música está além de qualquer fronteira, não é propriedade de ninguém. Em nossos dias é de se admirar de quem se admira que numa cidade conhecida pela sua vasta floresta e por isso mesmo, chamada algumas vezes de "pulmão do mundo" ou ainda, por causa de seu clima quente e úmido de "Inferno Verde " ou "Sucursal do Inferno" se ouça e se faça blues?!... mas, ora, se aqui é o inferno ou uma sua sucursal, aonde mais poderiam viver os demônios da tristeza, os nossos "BLUEDEVILS"? Afinal não são eles que nos ajudam a compor um belo blues? Bem... seja aqui inferno ou paraíso, a tristeza e a alegria também são seus habitantes e temos nosso direito de expressar tais sentimentos, na forma e no jeito que quisermos, naquele que nos sentimos mais à vontade, e esta forma para nós, é o blues.
Postar um comentário