quinta-feira, 18 de setembro de 2008

RESPLANDECER



Amor que chegaste agora
Pegando-me em hora tão desprevenida
Perguntas-me o que move a vida
E eu fico sem saber o que te dizer

De minha boca
saem somente doces palavras
para certeiras fazerem moradas
em teu coração bem-querer
onde em aconchego
calam-se em segredos
São elas ninhos macios
de pequenos passarinhos

Há dias que não descanso
As noites me consomem
Meus olhos ardem de espanto

Foi-se a primavera
Guardei-me em uma longa espera
Mas o amor finalmente resplandeceu

para mim através de ti





Postar um comentário