quinta-feira, 28 de agosto de 2008

O VELHO DA BARCA


Bom barqueiro bom barqueiro...
Dá licença de eu passar...?
Carregado de lembranças
Para casa vou voltar...
Vivo estou à margem do Aqueronte
Nem sei como aqui vim parar
Perdido por entre clamores e prantos das almas condenadas...
Barqueiro bom barqueiro
Dá licença de eu passar...?
Salvo conduto possuo
Para escapar desse mundo escuro
O precioso raminho de ouro
Dado pela Sibila esperança
Velho Caronte barqueiro amigo
Do rio Aqueronte quero distância
Barqueiro ó bom barqueiro
Dá licença de eu passar?
Carregado de lembranças
Para casa além do mar quero voltar
Barqueiro ó bom barqueiro
É pra lá onde hás de me levar
Postar um comentário