segunda-feira, 18 de agosto de 2008

FEDELI D'AMORE



Tu que és o meu sol
derrete minhas dores
Tu que és a minha lua
devolve minha alegria

Como um sonho a vida passa
Como um sonho tudo acaba
De olhos fechados
recebo eu teu abraço

De teu formoso rosto amada
levo sempre a lembrança
Entro mudo calado saio
de um mundo de esperança

Entrego-me ao abandono
mas não me engano
sei que estás a me esperar
Rompo com o círculo do tempo
e no círculo do amor adentro

Bebo um vinho que me embriaga
Só não me deixa amada
Se a embriaguez logo não passa
cura-me com a presença de tua graça

E sobre meu peito dolorido e cansado
espalha tua longa e perfumada cabeleira
e com ela enxuga minhas lágrimas





Postar um comentário