terça-feira, 10 de junho de 2008

TENTATIVA




Não sei escrever poemas de amor.
Posso apenas dizer que te amo de viva voz, ao pé de teu ouvido, quando junto a mim te deitas e me falas baixinho.
Não sei escrever poemas de amor; desculpe-me. Este foi o único que tentei, mas os versos não vieram!
Porém, posso dizer que te amo de viva voz, ao pé de teu ouvido, quando junto a mim te deitas e me falas baixinho.

***

Que fazes aí, querido, sozinho nesta escuridão? 
Vem. Dá-me a tua mão e senta-te aqui comigo.
Esquece a tempestade que se forma lá fora. 
Amanhã, tudo já terá passado e tu, hás de reparar no brilho do sol. 
Agora, eu só quero te abraçar; sentar-me em teu colo e contar-te uma longa história.


Postar um comentário